• Fernanda Ornelas

Estresse Emocional

Atualizado: Abr 15

O que é

Como pode se apresentar

Quais as causas

Quais consequências

Como tratar


O QUE É ESTRESSE ?


O conceito de estresse tem sido muito utilizado atualmente, quase que de forma banal.


Atualmente, no século 21, muitos distúrbios, alterações de humor já são considerados estresse. As pessoas se consideram estressadas pelo aspecto de excesso de atividades em tempo considerado escasso ou pela dificuldade de locomoção nas grandes cidades ou ainda pelo excesso de informações e preocupações.


Observa-se que os meios de comunicação de massa têm veiculado o conceito de forma indiscriminada, o que favorece uma certa confusão a respeito do verdadeiro significado do termo estresse.


O conceito de estresse foi deturpado e , muitos fazem do estresse sinônimo apenas de tensão nervosa, descontrole emocional, doença, chegando a ser considerado o "mal do século".


Diante de situação considerada como periga ou ameaça, o ser humano tem, como reação básica de sobrevivência, a luta e ou a fuga.


O termo em inglês stress, que vem da mecânica, pode ser entendido como uma força exercida sobre um corpo que tende a deformar-se, ou como a intensidade dessa força. Pode também ser entendido como uma tensão mental ou física, a urgência ou a pressão que a causa. Assim, observa-se que o mesmo termo refere-se tanto à causa quanto ao efeito.


É uma resposta fisiológica e comportamental normal a algo que aconteceu ou está para acontecer que nos faz sentir ameaçados ou que, de alguma forma, perturba o nosso equilíbrio, de modo geral.


A partir das últimas décadas do século 20, surgiu o largo interesse econômico em torno do estresse, que pode ser observado também na indústria farmacêutica, que passou a fabricar inúmeros produtos na tentativa de combatê-lo , pelos sintomas, normalmente.





De acordo com pesquisas recentes (Robbins, 1993, apud Doublet, 1998), o estresse está relacionado às queixas de aproximadamente dois terços das consultas médicas realizadas nos Estados Unidos.


Hans Selye foi o primeiro estudioso que tentou definir estresse, atendo-se à sua dimensão biológica. De acordo com este autor (1959), o estresse é um elemento inerente a toda doença, que produz certas modificações na estrutura e na composição química do corpo, as quais podem ser observadas e mensuradas. O estresse é o estado que se manifesta através da Síndrome Geral de Adaptação (SGA)


Segundo Selye, estresse não é apenas uma tensão nervosa nem o resultado específico de uma lesão, não é nada que cause uma reação de alarme (agente do estresse), nem é um desequilíbrio da homeostase.


Estresse é um estado manifesto por uma síndrome específica, constituída por todas as alterações não específicas produzidas num sistema biológico.


Segundo este autor, esta é uma definição operacional, que trata do que deve ser feito para se produzir e reconhecer o estresse. Assim, o termo só tem significação quando aplicado a um sistema biológico precisamente definido.


Também podemos definir estresse como uma relação particular entre uma pessoa, seu ambiente e as circunstâncias às quais está submetida, que é avaliada pela pessoa como uma ameaça ou algo que exige dela mais que suas próprias habilidades ou recursos e que põe em perigo o seu bem-estar. Esta é uma visão biopsicossocial do estresse, que considera os estímulos estressores provenientes tanto do meio externo (estímulos de ordem física ou social, como o trabalho), quanto do interno (pensamentos, emoções, fantasias e sentimentos, como angústia, medo, alegria e tristeza).


O autor cita as três fases do estresse biológico especificadas por Selye na Síndrome Geral de Adaptação e admite a participação do indivíduo no aumento do estímulo estressor.


A probabilidade de adoecimento vai depender do como este indivíduo avalia e enfrenta esse estímulo, bem como de sua vulnerabilidade orgânica.


Alguns autores estudiosos do tema Estresse afirmam ainda que, no processo de avaliação dos estímulos estressores, há uma atividade mental que em parte é racional e em parte emocional, não necessariamente consciente. Isso vai determinar o tipo de enfrentamento, ou como o indivíduo responderá a esses estímulos, considerando seu repertório de experiências passadas.

O enfrentamento é definido como a estratégia ou conjunto de esforços de que o indivíduo lança mão para dominar a situação estressante, quais ferramentas dispõe fisicamente e emocionalmente para lidar com a adversidade.


É preciso considerar o fator positivo do estresse o qual leva um indivíduo a ser mais produtivo e criativo nas suas respostas adaptativas, a sair da passividade e inércia para a autodefesa e ação.


Mas o que realmente parece ser significativo, concluem, é a maneira como cada pessoa reage aos agentes estressores, sendo este um fator decisivo para o aparecimento ou a evolução de doenças.


Com base na Psicanálise, esta escola vai procurar nos sujeitos a diferença fundamental que faz com que certos indivíduos sejam mais propensos ao adoecer do que outros, embora sujeitos às mesmas condições de vida ou história familiar. Assim, determinados sujeitos apresentariam uma maior resistência (não no sentido psicanalítico do termo) quanto às somatizações , no sentido do adoecimento, por possuírem uma estrutura mental melhor aparelhada para enfrentar os traumas - e não o estresse - ainda que não estejam totalmente imunes às doenças.


Conceitos como ansiedade, conflito, frustração, distúrbio emocional, alienação traumática e anomia, têm sido descritos como estresse e grande parte da confusão é devida à tentativa de se agrupar sob um só conceito ocorrências diversas e complexas. Não havendo um acordo em torno do que seja estresse, sua utilidade é discutida enquanto conceito.


"O ESTRESSE está ligado ao sentido de mudança. A manutenção da vida depende da capacidade de nos adaptarmos a ela. Podemos concluir que o estresse é inerente à vida. (Hans Seye)".


Podemos ter também um corpo estressado pelos excessos como o de atividade física além do nosso limite, por exagero em alimentos prejudiciais a saúde, pela falta de sono e descanso.

Também pelo consumo desenfreado de informações , imagens, sons, exigências extremas , além da nossa capacidade orgânica assim, provocamos o estresse.



Quando vivemos sob estresse constante, em amplo sentido, o corpo permanece no modo “lutar ou fugir” o que pode desencadear uma série de respostas psicológicas, inclusive elevação no nível de cortisol , o conhecido hormônio do estresse, favorecendo, inclusive, a queda da nossa imunidade.


O QUE É ESTRESSE EMOCIONAL ?


É uma resposta que o nosso próprio organismo à situações de conflito, tensão, medo, preocupações em excesso entre outras.


Vivemos num cenário desafiador, com excesso de cobranças externas, necessidades diversas o que, facilmente, leva a frustrações .


Muitas pessoas se acostumam e acreditam que seja "normal" se sentirem estressadas e mais ainda, se auto definem como "pessoa estressada".


Segundo a Associação Americana de Psicologia, classificam-se em três grupos de estresse:

- agudo

- crônico

-pós-traumático


Mesmo de curta duração, o estresse impacta o organismo, o estresse agudo ( um fato isolado e finalizado ). Em caso de períodos mais longos, o estresse torna-se crônico ou ao atingir uma situação limite, conhecida como burnout ( situação limite de estresse excessivo, porta para graves consequências para a saúde mental e física ).

O estresse pós-traumático ocorre após evento como uma acidente, luto e também tem potencial para se transformar em crônico se não tratada a pessoa.


Estas respostas são refletidas no corpo físico e também na mente, nas emoções e em nossa energia vital. O processo de estresse é desencadeado também quando o indivíduo apresenta auto cobrança em excesso além de depositar em si mesmo, altas expectativas o que , de forma comum, resulta em frustrações e insatisfação com a vida , cansaço mental, desânimo , prostração, procrastinação entre outras consequências.


Esse tipo de estresse é causado, principalmente, por fatores e agentes internos, mas pode ser gerado por fatores externos, como o ambiente , rotina de trabalho e atividades além da capacidade do indivíduo , por exemplo, podendo resultar em sintomas físicos, como aumento da frequência cardíaca, por exemplo, e psicológicos, como oscilações de humor, insegurança e isolamento social. Adultos, crianças e animais estão sujeitos ao estresse emocional.


POSSÍVEIS CAUSAS E PRINCIPAIS SINTOMAS DE ESTRESSE EMOCIONAL

Os sintomas de estresse emocionais tem origem, de forma geral , preocupação intensa sobre determinado assunto ou atividade, na maioria das vezes relacionadas à avaliação social, o que faz com que a pessoa pressione a si mesma por resultados que, muitas vezes, estão acima de suas capacidades , no excesso de atividade cerebral sobre determinados assuntos ( ruminação mental ), na baixa autoestima , por exemplo, que pode gerar pessimismo extremo e falta de fé na própria pessoa e nas outras, na vida em si.

Principais sintomas relacionados ao estresse emocional :

  • Dificuldade de autoaceitação;

  • Insatisfação com a vida;

  • Tristeza;

  • Isolamento social;

  • Alterações do humor;

  • Cansaço;

  • Falta de apetite ou compulsão alimentar

  • Ganho ou perda de peso;

  • Dores de cabeça;

  • Insônia ou sono sem qualidade;

  • Aumento da frequência cardíaca e pressão arterial;

  • Alterações gastrointestinais ( prisão de ventre ou diarreia)

  • Irritabilidade exagerada ;

  • Angústia e choro fácil;

  • Ansiedade e nervosismo constantes;

  • Queda de cabelos;

  • Dificuldade de concentração.

  • Baixa autoestima

TRATAMENTO DO ESTRESSE EMOCIONAL

O tratamento para o estresse emocional deve se basear nas causa raiz das questões.

Primeiramente, é preciso que a pessoa que sofre de estresse emocional deseje, realmente, encontrar a causa ou as causas "gatilhos", ou seja, os fatores geradores dos sintomas porque não bastam tratar apenas os sintomas, mantendo a causa enrustida e pronta para nova crise.

Não existem receitas prontas para eliminar o estresse emocional, já que somos seres individuais , semelhantes mas não iguais. Também não será o suficiente tratar as questões somente durante a crise, é importante a continuidade.

Recomendações importantes , muitas já conhecidas, como :

- Prática de atividade física frequente

- Ter hobbies e atividades prazerosas , buscar , na rotina, momentos de prazer

- Relaxar e desligar-se das atividade rotineiras e repetitivas, com frequência

- Alimentação natural, evitando excessos de açúcares, gorduras e industrializados, álcool , adoçantes artificiais e cafeína .

- Meditação , comprovada eficácia por estudos científicos , acalma e tranquiliza a mente além de promover bem-estar .

A NATUROPATIA, pelas Práticas Integrativas Complementares, trata o ser , a pessoa e não apenas os sintomas . É a medicina natural e complementar , não é alternativa porque não induz ao não tratamento também pela medicina convencional, se necessário, é complementar. É uma forma evasiva e natural de cuidar, buscando e tratando a causa do distúrbio e não apenas os sintomas.

De forma natural, podemos utilizar a Fitoterapia, com os fitoterápicos naturais de forma complementar como infusão de ervas : folhas de maracujá, Melissa officinalis ( Melissa ) , Matricaria Chanomilla ( Camomila ), Capim-limão ( Cymbopogon citratus) , incluindo tinturas, com indicação de profissional qualificado (a ).


Os óleos essenciais, na Aromaterapia, são muito eficazes como complemento em tratamentos de estresse emocional como o óleo essencial de Lavanda, Lavandula Angustifolia , a lavanda francesa, que auxilia no relaxamento , ajuda a diminuir dores de cabeça, enjôos, auxilia também em quadros gripais e em muitas outras questões. Pode ser usada na pele, ou inalada, conforme indicação profissional.

A Terapia Floral é eficaz no equilíbrio do corpo ,da mente e das nossas energias, de forma sutil e natural.

As essências florais atuam nos campos emocionais vibracionais e, consequentemente, no campo físico. Visam a harmonização das emoções, pensamentos e sentimentos geradores do mal estar físico/psíquico. Cada uma das essências florais agem tratando determinado quadro desarmonioso.

O mais famoso composto Floral de Bach é o RESCUE, o floral emergencial . Há quase 100 anos, o mais consumido na Europa, principalmente, possui em sua composição 5 essências para equilíbrio integral em momentos críticos, mantendo a serenidade , foco, clareza dos pensamentos além de promover bem-estar e relaxamento, sem provocar sonolência.

Portanto, o autoconhecimento é a poderosa ferramenta para combatermos o estresse emocional e diversas outras doenças físicas e emocionais. Extinguindo a causa raiz, os sintomas desparecerão.


Conheça mais sobre as Práticas Integrativas Complementares, Medicina Natural aqui neste site www.expandircentrodebemviver.com.br


Para saber mais, trocar ideias comigo, clique na aba de "contato" deste site e vamos conversar.

Siga o Expandir Centro de Bem-viver no instagram @expandircentrodebemviver


Fernanda Ornelas

Terapeuta Naturopata

Bach Practitioner Brz-2019-0206R

Mestre em Reiki , Praticante e Facilitadora das Barras de Access

EXPANDIR CENTRO DE BEM-VIVER



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo